Você Conhece os Personagens Gays das Histórias em Quadrinhos?

Pipoqueiros que não tem preconceito, como vão vocês?

Hoje resolvi falar de um assunto “polêmico”, vamos falar um pouco sobre os personagens gays dos quadrinhos.

Não é novidade para ninguém que as editoras sempre incentivam a criação de roteiros e personagens para gerar polêmica. No universo dos quadrinhos sempre foi assim. Já tivemos todo tipo de personagem, com toda etnia e crença que alguém possa imaginar. Então qual o problema de existirem personagens com uma opção sexual diferente do que é chamado de “comum”?

O primeiro super-herói dos quadrinhos a assumir sua homossexualidade foi Jean-Paul Beaubier, mais conhecido como Estrela Polar.

Astonishing_X-Men-Northstar

Estrela Polar faz parte do grupo canadense Tropa Alfa e a primeira HQ que o rapaz apareceu foi em Uncanny X-Men#120 (em 1979), mas só “saiu do armário” em 1983. O personagem foi criado por John Byrne e Chris Claremont, desde a criação da Tropa, ficou acertado que um dos integrantes seria gay, mas só mais tarde que foi tomada a decisão que seria o Estrela Polar. No começo só faziam umas poucas referencias, citada de maneira sutil. Isso porque na época ainda existia um código de conduta dentro da Marvel com fortes referencias ao Comics Code, uma espécie de censura disfarçada em “código de ética” que existia nos EUA.

code-comic

A Marvel além de ter o primeiro personagem que assumiu em suas revistas que é gay, também foi responsável por mostrar o primeiro casamento entre homossexuais dos quadrinhos. O próprio Estrela Polar se casou com seu namorado de muitos anos Kyle, esse um humano comum, sem poderes. Isso aconteceu na edição de número 51 da revista Astonishing X-Men, no Brasil chamado Os Fabulosos X-Men.

casamento-estrela-polar

O editor chefe da Marvel, Axel Alonso, chegou a dizer o seguinte sobre o acontecimento:

“Quando o casamento gay se tornou legal no Estado de Nova York, e a maioria de nossos super-heróis reside aqui, obviamente uma série de questões foi levantada. Estrela Polar é o primeiro personagem abertamente gay nos quadrinhos e tem uma relação antiga com seu namorado Kyle. Portanto, a pergunta que surgiu foi: como isso iria transformar a relação deles?”

Outro casamento gay aconteceu nos quadrinhos, mas dessa fez numa editora que é um selo alternativo da DC Comics, a Wildstorm, criada por Jim Lee. Isso aconteceu revista The Autority, que conta as histórias de um grupo controverso onde uma espécie de Liga da Justiça hardcore, suja as mãos para impor a lei a seu modo. Entre eles existe dois personagens que são descaradamente duas versões homossexuais do Superman e do Batman, chamados de Apollo e Meia-Noite.

apollo-meianoite

Criados por Warren Ellis, Apollo é um super-humano cujos poderes são alimentados pela luz solar, dotado de força descomunal, invulnerabilidade, poder de vôo e a capacidade de disparar rajadas de energia pelos olho. Meia-Noite possui implantes neurais que o tornam o lutador perfeito. Ele é capaz de avaliar um adversário e criar dezenas de cenários e estratégias para vencê-lo e é também um excelente detetive, que se veste com roupa escura. Semelhanças a parte, eles também se casaram.

The-Authority-casamento

Ainda falando do Estrela Polar, numa das histórias do Universo Alternativo da Marvel, o “Ultimate”, ele teve um relacionamento com um X-Men ainda mais popular, o russo Colossus, que é hetero no universo principal chamado de “Terra 616”.

colossusultimate

Recentemente saiu a noticia que o mais famoso personagem da Marvel vai ganhar uma história num universo alternativo, em que ele dará um beijo em outro personagem do mesmo sexo, eu estou falando de Wolverine e Hercules.

X-Treme-X-Men

A história será publicada na edição de número 10 da revista “X-Treme X-Men”, nela os personagens dos X-Men vivem num universo alternativo onde inclusive o próprio Wolverine nem é chamado assim, mas sim pelo seu sobrenome na história, que é Howlett. No contexto alternativo, a cena acontece na Grécia antiga e, nesse momento, os personagens dizem: “Somos os melhores heróis do nosso mundo… E no dia em que derrotamos o pior monstro que já ameaçou o Dominion of Canada… revelamos nosso amor”.

Não é novidade as editoras mudarem seus personagem em universos alternativos. Na DC Comics aconteceu o mesmo. Lá o personagem que se revelou gay foi ninguém menos que Alan Scott, o Lanterna Verde original.

Green_Lantern_Alan_Scott-alex-ross

O personagem foi criado na década de 1940, e mudou muito desde então. Essa nova mudança, no entanto, acontece no universo chamado de “Terra 2”.

alan-scott-joven

A revelação veio junto com a reapresentação do super-herói em meio à “reinicialização” do universo ficcional DC em 2011, quando a editora decidiu recomeçar a contar as aventuras de cada um deles do início, quando eram jovens.

Além de Alan Scott, muitos outros personagens da DC saíram do armário, entre eles temos algumas mulheres além de homens, como a Batwoman que a editora reformulou a heroína e a transformou em lésbica (Batgirl outra personagem, para que não confundam).

Batwoman

Outra que se apresentou gay, foi a policial Renee Montoya, que se tornou a nova Questão assim que o antigo personagem morre.

ReneeMontoya-questao

Alguns personagens que são pouco conhecidos do grande publica, também aparem como gays. Entre eles existem dois casais, Shatterstar e Rictor, onde Rictor é um mutante do universo dos X-Men e Shatterstar é um alienígena, eles alias, protagonizaram o primeiro beijo gay dos quadrinhos.

rictor-shatterstarbjo

Outro casal é Wiccano e Hulkling, ambos membros do grupo Jovens Vingadores.

wiccan-and-hulkling

Bom, quando escrevi a palavra “Personagens” no titulo do texto, eu não estava me referindo somente a super-heróis. Em varias outras publicações em formado de quadrinhos, temos outros personagens que também se assumiram ou já apareceram como gays.

Na série “Camelot 3000”, uma história em quadrinhos Cult que envolve Alienígenas e Reencarnação, é mostrado o ano 3000 e os personagens clássicos da Távola Redonda como Rei Arthur, Lancelot, Merlin e outros, acabam reencarnando nesse período. Entre eles temos Sir Tristan (ou Tristão como ficou conhecido no Brasil), por obra do destino ele reencarna no corpo de uma mulher, mas com as mesmas vontades de quando era homem. O problema é que ele encontra sua antiga amada, Isolda, que ainda é mulher. Durante todo arco da historia ele luta com o fato não querer ser tratado como uma lady, mas ainda assim quer o amor de Isolda. Ao final da série os dois terminam juntos.

trsitan-isolda

Numa série em quadrinhos da mente de Grant Morrison chamada “Os Invisíveis”, somos apresentados a um dos personagens principais, Lord Fanny, um menino carioca que é criado pela avó como menina (em todos os sentidos), pois um homem não poderia herdar os poderes ligados a sua família. Para criar a personagem, Grant Morrisson se referenciou no fato que entre alguns povos antigos da América do Sul existiam Xamãs travestis que eram respeitados e aos quais eram associados poderes mediúnicos………………..(?!?)

lordfanny

Mas não são só os gringos que criaram personagens gays. No Brasil o cartunista, Adão Iturrusgarai, criou em 1985 os personagens Rocky e Hudson.

Rocky-Hudson

Outro cartunista brasileiro, Angeli, criou em 1983 o personagem Nanico das histórias “Meia-Oito e Nanico”. Nas palavras do Angeli:

“Um, seco e moralista; outro, que queria soltar as plumas”.

meia-oito-nanico-angeli

Muita gente talvez nem saiba, mas em 2009 na edição de numero 6 da revista “Tina”, do nosso querido Mauricio de Souza, criador da Turma da Mônica, apareceu um personagem, que mesmo não falando abertamente, dava a entender que ele seria gay.

tina-caio

O próprio Maurico em entrevista na época do lançamento da reviste disse:

“A revista Tina é uma nova publicação dirigida a um público adulto jovem. Não tem nada a ver com a Turma da Mônica ou o público infantil ou infanto-juvenil (Turma da Mônica Jovem). E a história que está provocando celeuma deve ser lida e interpretada pelo leitor. Lida a história, feita a interpretação, daí sim, comentários e criticas poderiam ajudar para falarmos a língua de uma sociedade esclarecida. Lembrando que publicações dirigidas a faixas de idade diferenciadas podem e devem tratar qualquer assunto de maneira adequada ao seu leitor. Na TV, no cinema, nas revistas das bancas, há a separação por faixa de idade. Por que não haveria na nossa vasta galeria de publicações? Mas uma coisa vai se manter em todas as nossas produções: o respeito pelo ser humano. Pela pessoa. E a elegância no trato de qualquer tema.”

Bom, cada vez mais os meios de entretenimento vêm dando cada vez mais espaço a toda e qualquer pessoa, independente de sua opção sexual, crença e etnia. Acho fantástico, apesar de que muitos casos os personagens são ali colocados para alavancar as vendas dos quadrinhos e não porque acham que seria interessante tal personagem existir. Mas isso vem mudando, e o mundo aos poucos pode deixar de ter tanto preconceito com as pessoas só por serem, de alguma forma, “diferentes” de outras pessoas. Se isso vai ajudar a mudar a cabeça das pessoas, eu não sei. Mas nunca devem parar de tentar.

Por fim, fiquem com uma tirinha do grande Laerte.

preconceito-laerte

Você não é a diferença, a diferença quem faz é você!

@benatogomes

Anúncios

Pipoca aí, pode escrever!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s