Você já assistiu ao filme “Conta Comigo”?

AVISO: SPOILERS DO FILME

Poster

Quem tem mais de 30 anos talvez se lembre de ter visto esse filme numa Sessão da Tarde ou Cinema em Casa. Durante boa parte da década de 1990 ele foi reprisado diversas vezes, mesmo que o filme tenha sido lançado no ano de 1986.

Não me recordo com clareza da primeira vez em que sentei no sofá da sala para ver esse filme, mas me lembro do sentimento que tive quando ele terminou, e tenho quase certeza que eu devia ter uns 10 ou 11 anos quando o vi a primeira vez, uns sete anos depois de seu lançamento e talvez por isso ele tenha se tornado tão especial para mim.

 http://www.youtube.com/watch?v=FUVnfaA-kpI

 O filme Conta Comigo, no original “Stand By Me”, é uma adaptação do conto “The Body”, no Brasil, “O Outono da Inocência – O Corpo”, presente na coletânea “As Quatro Estações”, de Stephen King. Aliás, o conto é cheio de referencia a sua infância, o que acontece com o personagem principal em relação a seu irmão, é idêntico ao que aconteceu com Stephen King, é como uns relatos de sua própria história assim como o nome das cidades citadas no filme fazem referencia a lugares reais do estado do Maine onde Stephen King viveu quando criança.

Na história, um escritor, Gordie Lachance (Richard Dreyfuss), começa a se recordar de quando tinha 12 anos e morava na cidade de Castle Rock, Oregon, no ano de 1956, mais especificamente de um acontecimento envolvendo ele e mais três amigos Chris Chambers (River Phoenix), Teddy Duchamp (Corey Feldman) e Vern Tessio (Jerry O’Connell). Durante as férias de verão daquele ano, eles resolvem sair da pequena cidade e seguir os trilhos do trem além de entrar na mata, atrás de uma criança, que havia desaparecido há três dias e que ficaram sabendo que ela havia morrido atropelada por um trem. O motivo dos quatro amigos era simples, encontrar a criança e se tornarem heróis.

Os três amigos de Gordie (interpretado por Wil Wheaton, para quem acompanha The Big Bang Theory ele participa da série interpretando ele mesmo, isso por que atuou em Jornada nas Estrelas: A Nova Geração) eram bem diferentes entre si, cada um com um problema pessoal ou caráter diferente. Gordie estava com problemas em casa, pois seu irmão mais velho, Denny (John Cusack), havia morrido em um acidente de jipe há pouco tempo, no filme ele aparece em flashbacks, e seus pais ainda não se recuperaram do trauma, isso fazia com ele parecesse invisível em casa, seu pai olhava para ele com rancor, como se ele fosse uma decepção. Chris era o que se podia chamar de “líder do grupo”, mas era o que tinha mais problemas em casa, sua família era complicada e todos diziam que seu futuro não seria tão bom, ele mesmo acreditava nisso, ainda mais por viver na sombra do irmão Eyeball Chambers (Bradley Gregg), um membro de gangue local. Teddy era emocionalmente perturbado, e o responsável por isso eram os acessos de loucura que seu pai tinha, ele servira no exercito durante a Segunda Guerra Mundial, mas parece ter voltado com problemas mentais, chegando a quase matar Teddy uma vez. Vern era o mais infantil, seu maior problema era o fato de ser uma criança gordinha, o que o tornava o centro das piadas, mas por incrível que pareça, foi ele quem contou aos amigos sobre o corpo do garoto Ray Brower, e foi por causa dele que os amigos entraram nessa aventura, mas nenhum deles sabia que essa viajem se transformaria em uma jornada de autodescoberta, que iria mudar suas vidas.

imagem-01

Conta Comigo se tornou um dos filmes mais marcantes da minha vida justamente pelo tema central mostrado no drama, “a amizade”. O filme não é sobre uma jornada cheia de aventuras onde quatro amigos fazem de tudo para encontrar um tesouro perdido, ou ajudar uma pessoa em perigo. É um filme que mostra como a amizade é importante e ela é capaz de mudar a vida de uma pessoa e moldar seu caráter. Cada passo dado pelos amigos, cada nova descoberta, cada novo sentimento, faz com que se tornem fortes. O companheirismo é mostrado toda vez em que são submetidos a algum momento de tensão ou pânico, como no ferro-velho, na ponte do trem ou na lagoa das sanguessugas. A relação de amizade entre Gordie e Chris é tão intensa que durante o filme eles mais parecem dois irmãos disputando a atenção dos pais, do que dois amigos se divertindo. Mas é justamente ai que notamos como os dois são carentes e precisam de ajuda, tanto de outros amigos como de suas famílias. Pelo fato de Gordie ter perdido o irmão e Chris ter um irmão que ninguém gostaria de ter, eles ficam mais fortes juntos. A cena em que Gordie chora revoltado pela morte do irmão e o sentimento que ele tem pelo pai, que acha que ele devia ter morrido no lugar de Denny, quando todos estão no meio da floresta depois de passar muita coisa, é simplesmente emocionante, mais ainda pelo fato de Chris ser o ombro amigo nessa hora.

imagem-02

Teddy é o exemplo de criança problemática, que sem a ajuda da família ou amigos, pode vir a se tornar um maníaco depressivo. Ele sempre tenta mostrar que é corajoso, que enfrenta o perigo de frente, mas são descarados seus sentimentos de solidão, pelo fato de seu pai não estar presente e o seu passado com ele. Vern é a criança comum, o gordinho atrapalhado, medroso.

Durante a sua jornada, o grupo percebe que o caminho que eles percorrem se torna mais importante que o motivo. Apesar de que a vontade de ver o corpo de Ray fica cada vez mais forte em Gordie. Acontece tanta coisa com eles, que cada vez mais vão se tornando mais e mais unidos, chegando até mesmo a enfrentar o valentão Ace Merrill (Kiefer Sutherland), líder da gangue do irmão de Chris.

imagem-03

Por mais que a descoberta do corpo do jovem Ray tenha sido o motivo da viajem dos quatro amigos, no final o que mais importou foi a amizade e companheirismo que eles tiveram, o próprio Gordie já adulto, escrevendo suas memórias faz questão de deixar isso bem claro ao final de seu texto, dizendo: “Eu nunca mais tive amigos como os que eu tive quando eu tinha 12 anos. Jesus, e alguém tem?”

Essa frase resume muito do sentimento que temos por nossos reais amigos, o motivo de ainda cultivarmos algumas amizades de nossa infância. Talvez pelo fato de ter crescido numa cidade pequena, onde praticamente todo mundo se conhece, ainda tenho o prazer de ter os mesmos amigos de minha infância. Tenho até hoje amizades que cresceram com o passar dos anos, e outras novas que ainda tem muito que acrescentar. A maior lição que tirei desse filme foi justamente o de “dar valor aos verdadeiros amigos”.

Desde a primeira vez que assisti a esse filme, minha visão de o que deve ser um amigo de verdade mudou. E recomendo para todos aqueles que ainda não tiveram o prazer de ver esse filme, que assistam. Esqueçam os estereótipos americanos, as frases e as roupas da época, foquem na história, na trajetória, nos acontecimentos e no crescimento de cada personagem. Pode ser que ele não chegue a tocar outras pessoas como tocou meu coração, mas duvido que a imagem da amizade não vá mudar depois desse filme.

Ficha Técnica.

Nome do Filme: Conta Comigo (Stand By Me)

Ano de lançamento: 1986

Direção: Rob Reiner

Roteiro: Raynold Gideon, Bruce A. Evans

Com: River Phoenix, Wil Wheaton, Richard Dreyfuss, Corey Feldman, Jerry O’Connell, Kiefer Sutherland, John Cusack

Trilha Sonora:

  1. “Stand by Me” (Ben E. King)
  2. “Lollipop” (The Chordettes)
  3. “Book of Love” (The Monotones)
  4. “Everyday” (Buddy Holly)
  5. “Great Balls of Fire” (Jerry Lee Lewis)
  6. “Yakety Yak” (The Coasters)
  7. “Let the Good Times Roll” (Shirley e Lee)
  8. “Come Go with Me”
  9. “Get a Job” (The Silhouettes)
  10. “Rockin’ Robin” (Bobby Day)
  11. “Mr.Lee” (The Bobbettes)
  12. “Whispering Bells” (The Del Vikings)
  13. “Come Softly to Me” (The Fleetwoods)
  14. “Hush-A-Bye” (The Mystics)

 

 

(este artigo eu dedico a todos os meus verdadeiros amigos…)

“Go web go!!!”

Benato Gomes